ABAS

IAH

Você está em: HOME > Notícias

ABAS News

Participantes do Projeto Reviver do Alto Rio Lambari apresentam balanço da iniciativa

Raylton Alves

Na tarde desta quinta-feira, 9 de julho, na Câmara de Vereadores da Pedra do Indaiá (MG), ocorreu o balanço das atividades desenvolvidas pelo Projeto Reviver do Alto Rio Lambari entre dezembro de 2006 e junho de 2009. A iniciativa foi resultante de um convênio entre a Agência Nacional de Águas (ANA) e a Associação de Usuários da Bacia Hidrográfica do Rio Pará e contou com a parceira da Prefeitura Municipal da Pedra do Indaiá, além do financiamento com recursos da Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente (SRHU).

O Projeto Reviver do Alto Rio Lambari visou a promover a revitalização e educação ambiental, por meio de conservação de solo, medições de quantidade e qualidade das águas, cercamento de nascentes, plantio em áreas de mata ciliar e de recarga de lençol freático, além de captações de águas pluviais mediante a construção de microbarragens – barraginhas – nas margens das estradas municipais da Pedra do Indaiá.

Segundo o gestor do convênio pela ANA, Herbert Cardoso, os produtores rurais do município apresentaram uma resistência inicial a ações da iniciativa, como a construção de barraginhas – ou “cacimbas”, como dizem os habitantes da Pedra do Indaiá. De acordo com Cardoso, o sucesso do projeto causa um “problema” para o prefeito da cidade, já que os produtores rurais do município agora cobram a construção de ainda mais barraginhas pela Prefeitura.

Para Cláudio Coelho, prefeito da cidade, as barraginhas têm trazido benefícios perceptíveis para Pedra do Indaiá. “Sabe da importância das cacimbas quem agora tem água cristalina em suas propriedades”, afirma. Durante a apresentação do balanço das ações do Projeto, a presidente da Associação de Usuários da Bacia do Rio Pará, Regina Santos, a ação executiva da iniciativa gerou uma demanda ambiental na região.

Para a representante da SRHU, Larissa Rosa, o Projeto traz benefícios que vão além das ações desenvolvidas pela iniciativa. “É gratificante ver a construção de ‘cacimbas’, plantio de mudas e readequação de estradas, mas o que chama atenção é, sobretudo, a mobilização social e a conscientização ambiental dos produtores rurais, que são os grandes responsáveis pela continuidade do projeto e pela proteção dos recursos naturais”, conclui.

Como funciona uma barraginha

A barraginha é escavada na terra e tem o objetivo de reduzir a velocidade da água de chuva que escorre superficialmente e de permitir a infiltração desta água, o que permite respectivamente a redução da erosão e a recarga dos lençóis freáticos. Como outros resultados, a barraginha permite a redução do transporte de sedimentos até cursos d’água, impedindo o assoreamento.

A bacia hidrográfica

O Alto Lambari está localizado na bacia hidrográfica do rio Pará, que compõe o Alro São Francisco. Com uma área de 370,87km² dentro do município da Pedra do Indaiá, a região do Alto Lambari tem como característica solos rasos, fator que os torna muito frágeis, o que enseja cuidado.

Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Agência Nacional de Águas (ANA)
(61) 2109-5103
imprensa@ana.gov.br



Notícia publicada em 13/07/2009.








Copyright © - ABAS - Associação Brasileira de Águas Subterrâneas