Boletim Informativo da Associação Brasileira de Águas Subterrâneas Julho/2001 - Nº 116
   

PRÉ-FILTROS E O MERCADO DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS

Os pré-filtros são parâmetros primordiais para a melhor produtividade e eficiência da construção de um poço tubular

O pré-filtro é um granulado de rocha adicionado ao espaço anular entre a superfície externa da seção filtrante e as paredes de um poço tubular. De acordo com a sua granulometria, o pré-filtro é classificado como silte, areia ou cascalho. Como o cascalho é de uso mais freqüente, a colocação desse material é conhecida como encascalhamento artificial ("gravel packing"). O pré-filtro é utilizado quando se trabalha exclusivamente com aqüíferos granulares. O uso do pré-filtro acontece em situações que envolvem litologias representadas por areias finas e uniformes, alternância de extratos de granulometria variável, áreas de água muito incrustante, necessidade da capacidade específica do poço ou ainda quando se deseja faciliatar a etapa de completação da obra.
A grande vantagem do seu uso é facilitar ao usuário a instalação dos filtros com maior área aberta, propiciando vazão mais elevada. O desenvolvimento natural do poço sem esse envoltório, se aplica mais aos aqüíferos de granolometria grosseira e mal classificados. É comum dispensar o encascalhamento artificial nas circunstâncias em que pelo menos 90% dos grãos componentes do aqüífero possuem diâmetro superior a 0,25 milímetros e em que o coeficiente de uniformidade é maior do que 2. Se esse coeficiente for maior do que 5 é contra indicado usar pré-filtro - qualquer que seja a granulometria do aqüífero - sob pena de prejudicar a operação de desenvolvimento do poço.

Mercado dos Pré-filtros

Clayton Américo Maestrello, gerente da Apalan Stones Comércio de Areias e Pedregulhos Ltda, empresa que está há 20 anos no segmento, acredita que o mercado do produto está em franco desenvolvimento. "O pré-filtro é imprescindível para a melhor filtragem da água do poço. A preocupação é quanto a utilização da brita em algumas regiões de Minas Gerais e São Paulo. Como a brita é um material de qualidade inferior, acaba corroendo o disco da bomba e causando diversos problemas. O pré-filtro com a granulometria correta proporciona maior vida útil da bomba submersa", afirmou Clayton.
"O mercado de pré-filtros está muito bom, mas também existe muita picaretagem. Um produto perfeito e de qualidade, requer custos. A Apalan faz classificações periódicas de peneira em laboratório, enquanto que muitas empresas emergentes retiram o pré-filtro do rio é diz que o material é igual, só que bem mais barato. Essa atitude acaba colocando em risco todo o mercado de pré-filtros, inclusive as empresas sérias. Poço só tem um jeito de fazer: bem feito!", destaca Fábio Antônio Lauretto Marques, gerente de produção da Apalan.
A Panorama Pré-filtros está no mercado há 14 anos. Nesse período buscou o aperfeiçoamento das técnicas de produção e embalagem, para garantir a qualidade do produto. "O mercado está bom, mas ainda falta divulgação. Muitos clientes desconhecem a utilização dos pré-filtros na perfuração de poços tubulares. A nossa maior dificuldade é quanto aos órgãos do governo que exigem nos projetos o pré-filtro pérola, da areia do mar por ser mais arredondado. O pré-filtro arestado vindo dos rios tem a mesma função do pérola, mas é discriminado. A utilização do pré-filtro em um poço é tão importante quanto a bomba ou o revestimento. A preocupação da Panorama é em relação às embalagens. Utilizamos embalagens novas, mas muitas empresas utilizam embalagens reaproveitáveis, como sacos de adubos e sal colocando em risco a vida útil do poço. Esse cuidado é fundamental, pois o pré-filtro embalado em um saco de adubo pode contaminar todo o lençol freático", explica Mário Manchini Jr, diretor da Panorama Pré-Filtros.
Com 26 anos de atuação no mercado, a Minério Macaense é uma empresa especializada na fabricação de pré-filtros e derivados. Localizada em Macaé, no Rio de Janeiro, elaborou um histograma, uma espécie de certificado cuja função é determinar a composição física-química da matéria- prima, assim como a curva granulométrica e coeficientes do produto. "O mercado brasileiro deste setor somente passou a ser visto de forma mais ampla e geral nestes últimos anos, devido a expectativa e a necessidade de se obter água potável ou de abastecimento isenta de poluição", afirma Luiz Carlos Goulart Dornelles, geólogo da Minério Macaense e diretor técnico da Gondwana - Geologia e Consultoria Ltda.
Alguns países solucionaram seus problemas de escassez de água potável e de abastecimento há anos com soluções práticas e objetivas em regiões geograficamente áridas - desérticas e ou com deficiência hídrica. Esses países investem recursos financeiros em trabalhos de prospecção - pesquisa e desenvolvimento de poços e de aqüíferos. Para que isso ocorra, todos os segmentos produtivos do país geram a criação e fabricação de novos equipamentos - máquinas e acessórios - o que vem ocorrendo há muitos anos e, só há pouco tempo isso ocorreu no Brasil. Desta maneira, o mercado dos pré-filtros está cada vez mais crescente em vista da demanda cada vez maior da abertura de poços tubulares para abastecimento de indústrias, de comunidades municipais, condomínios residenciais particulares, envase de água mineral, entre outros. "O mercado de perfuração de poços está cada vez mais requisitado e competitivo em função da crescente demanda gerada pela necessidade de se obter água de boa qualidade para diversos fins, além da conscientização crescente da população brasileira relativa à melhor qualidade vida e da constante proteção ao meio ambiente. Essa mobilização de conduta é de caráter mundial e irreversível", finalizou o geólogo.

Etapa de produção do pré-filtro

O processo de produção do pré-filtro começa com a escolha da matéria-prima de qualidade. A matéria prima segue para o setor de prospecção e é armazenada em silos de concentração. O material passa por um processo físico de lavagem para retirada das impurezas compatíveis com suas densidades e alimenta o alto forno cujo sistema de aquecimento é feito com gás GLP. O material é lançado em esteiras transportadoras até a sua concentração em silos e segue para as peneiras classificatórias para a separação granulométrica do material. A próxima etapa é a de ensacamento do pré-filtro cujas dimensões e tipo das embalagens variam em função da venda do produto final ao consumidor: à granel ou ensacado.

Geólogo Luiz Carlos Goulart Dornelles


Copyright - Associação Brasileira de Águas Subterrâneas
Todos os direitos reservados